Agência do medicamento

O Porto não ganhou a agência do medicamento.

Infelizmente não ganhou. O que nos leva a pensar: e se fosse Lisboa? Quase de certeza que não ganharia também. Mas porque é que estando pensada Lisboa como primeira escolha se cedeu ao lobby do Porto? Das duas uma: ou foi mal pensada a primeira escolha, ou foi bem pensada mas Lisboa não tem um lobby tão forte na área da saúde como o Porto. Até agora continuo a acreditar mais na segunda. E não sei bem porquê. Apenas uma questão de feeling. Daquelas coisas que sentimos mas que podem muito bem não corresponder à realidade.

Luís

mw-1920

Foto retirada daqui.

Governo na sociedade nuer

Citando E. Evans-Pritchard 1940: 181-182:

“A falta de orgãos de governo entre os nuer, assim como a ausência de instituições legais de liderança avançada e, geralmente, de vida politica organizada, são notáveis. (…) A anarquia ordeira em que vivem está perfeitamente de acordo com o seu carácter, pois é impossível viver entre os nuer e conceber a existência de governantes que os governem. (…) Os nuer são o produto do crescimento em condições duras e igualitárias, produndamente democráticas, e que facilmente dão origem à violência. Este espírito turbolento, acha quaquer forma de constrangimento irritante e nenhum homem nuer reconhece a superioridade de outro. A riqueza não faz qualquer diferença. (…) Não existe senhor ou criado na sociedade nuer, apenas iguais que se olham a si mesmos como a mais nobre criação de Deus. (…) Entre os nuer, até mesmo a suspeita de uma ordem irrita um homem, (…) ele não se submeterá a nenhuma autoridade que vá contra o seu próprio interesse e não se considerará obrigado em relação a nenhum outro homem.

Luís Batalha, Antropologia Uma Perspectiva Holística

 

Wikipedia.org:

Os nuers são uma confederação de tribos localizadas no sul do Sudão e no oeste da Etiópia.

Segundo E.E. Evans-Prichard são um exemplo clássico de linhagem segmentária ou linhagem multicentrica como solução de o problema de a unidade tribal; cerca de 200 000 vivem em povoados cultivando milho durante a estação das chuvas e pastoreando gado em regime de nomadismo quase constante durante as estações secas; seu sistema social é fluido tendo fama de serem em termos individuias de uma independência feroz; ainda que exista uma completa falta de autoridade centralizada ou de qualquer tipo de autoridade formal que transponha os limites de o povoado os Nuer são capazes de unirem-se em grupos cada vêz mais amplos para fazerem frente a ameaças exteriores; E.-Pritchard caracterizava os Nuer como um estado acefalo sem órgãos legislativos, judiciais ou executivos. Longe de serem uma comunidade caótica mantém uma forma permanente e coerente que poderia-se chamar de anarquia ordenada.